Unha de gato

Uncaria tomentosa

Família: Rubiaceae
Nomes comuns: unha de gato, cat’s claw
Parte utilizada: casca da liana, raiz
Descrição e habitat
A unha de gato é uma liana e existem duas espécies principais: Uncaria tomentosa e U. guianensis. Os estudos realizados sobre a unha de gato referem-se à Uncaria tomentosa. Por conseguinte, as várias propriedades atribuídas à unha de gato concernem a esta espécie.
Seus ramos são quadrangulares, com espinhos recurvados, que lhe dão seu nome. As folhas medem de 1 a 5 cm de comprimento.
A espécie U. guianensis é uma liana similar, que se diferencia por seus espinhos mais recurvados e pelo ramo cilíndrico. As duas espécies podem atingir 30 metros de altura.
A unha de gato é encontrada ao longo das margens dos rios e nas zonas húmidas e mal drenadas. Esta planta cresce, principalmente, em solos argilosos ou ricos, por toda a região amazónica e em outras regiões da América central e do sul, como Peru, Colômbia, Equador, Guiana, Suriname, Costa Rica, Guatemala e Panamá.

Utilizações tradicionais
A unha de gato tem utilização medicinal pelos povos peruanos, Aguaruna, Ashaninka, Cashibo, Conibo e Shipibo há pelo menos 2000 anos. Os Ashaninka utilizam a unha de gato para tratar asma, inflamações do sistema urinário, artrite, os reumatismos e dores ósseas, adiar o parto, limpar os rins, sarar ferimentos profundos, para controlar as inflamações e as úlceras gástricas e para o cancro. Outras populações peruanas utilizam a unha de gato para tratar a diabetes, o cancro do sistema urinário nas mulheres, as hemorragias, as irregularidades do ciclo menstrual, as cirroses, febres, abcessos, gastrites, reumatismos e tumores, assim como para a limpeza interna e para “normalizar” o corpo. Há informações de que a unha de gato foi utilizada como contraceptivo por numerosas populações do Peru (mas somente em muito fortes concentrações).
A unha de gato é utilizada na Europa desde os anos 1990 como tratamento auxiliar para o cancro e a sida, como para outras doenças que afectam o sistema imunitário. Actualmente, na fitoterapia, a unha de gato é empregada no mundo inteiro por sua capacidade de limpeza do sistema intestinal e por sua eficácia no tratamento de distúrbios de estômago e intestino.

Utilizações actuais e princípios activos
A unha de gato tornou-se bastante popular na indústria de produtos naturais e ela é principalmente utilizada actualmente para booster o sistema imunitário, como tónico geral e preventivo para manter a boa saúde, para as artrites e as inflamações, para os problemas de intestino e do cólon e como terapia complementar para o cancro.
A casca da unha de gato possui muitos grupos de princípios activos que são a origem de sua acção e de seus usos. O primeiro e o mais estudado é um grupo de alcalóides oxindoles que demonstraram propriedades de estímulo imunitário e anti-leucémico. Um outro grupo de compostos chamados glicósidos de ácido quinóvico demonstraram acções anti-inflamatórias e antivirais.

Os compostos antioxidantes (tanino, catequino e procianidino), assim como os sterois da planta estão ligados às suas propriedades anti-inflamatórias. Uma classe de compostos conhecidos, os ésteres de alquilos carboxílicos, que são encontrados na unha de gato, são documentados com propriedades imunoestimulantes, anti-inflamatórias, anticancerígena e reparadora das células.

Muitos estudos publicados, dos fins dos anos 1970 ao início dos anos 1990, indicam que a porção completa de alcalóide oxidole, presentes na casca, ou seis alcalóides oxidoles oxidoles, testados individualmente, aumentam a função imunitária até 50%.

Muitas dessas actividades imunoestimulantes e as propriedades anticancerígenas foram demonstradas in vitro à partir destes alcalóides e de outros constituintes da unha de gato.
Cinco dos alcalóides oxidoles foram clinicamente documentados como contendo propriedades antileucémicas in vitro e numerosos extractos da casca e das raízes têm demonstrado propriedades antitumorais e anticancerígenas.
Um certo número de pesquisadores tem reportado que a unha de gato poderia ajudar a reparar o ADN das células e poderia prevenir as mutações celulares; ela poderia, assim, ajudar a prevenir a perda de leucócitos e os danos causados às células imunitárias pela quimioterapia (um efeito secundário muito comum, chamado leucopenia).

Os resultados de alguns estudos têm validado a longa história da utilização indígena para a artrite e os reumatismos e para outros tipos de inflamações e distúrbios de estômago e intestino.

Uma pesquisadora argentina reportou que a unha de gato é um antioxidante eficaz. Outros pesquisadores concluíram em 2000 que é tanto um antioxidante como um notável inibidor do factor necrosante dos tumores (TNF) alfa.
Além dos alcalóides imunoestimulantes a unha de gato contém os seguintes alcalóides: rincofilina, hirsutina e mitrafilina, que têm mostrado propriedades hipotensivas e vasodilatadoras. Algumas das mais recentes pesquisas indicam que a unha de gato seria eficaz para as pessoas que sofrem de Alzheimer; que poderia ser atribuído aos efeitos antioxidantes já constatados ou, talvez, à dilatação dos vasos sanguíneos periféricos do cérebro pelos alcalóides como a rincofilina.

Composição: Acetoxidihidronomilina, ácido alfa-trihidroxi-ursenóico, carboxistrictosidina, ácido acetiluncárico, ácido adípico, alcalóides (especiofilina (uncarina D), isomitrafilina, isopteropodina (unicarina E), mitrafilina, pteropodina (unicarina C), uncarina F, rincofilina), aloisopteropodina, alopteropodina, angustina, campesterol, carboxistrictosidina, catecol, D-catechina, DL-catecol, ácido catecutânico, beta-sitosterol, corinanteína, corinoxeína, dihidrocorinanteína, óxido-n-dihidrocorinanteína, dihidrogambirtanino, ácido elágico, L-epicatecol, epicatechina, estigmasterol, ácido gálico, hanadamina, hirsutina, hirsuteína, óxido-n -hirsutina, hiperina, 3- iso-19-epi-ajmalicina, isocorinozeína, isorrincofilina, óxido-n-isorrinchofilina, isorotundifolina, ácido cetouncárico, 11-metoxiohimbina, ácido oleanólico, ourouparina, oxogambirtanino, ácido quinóvico, rotundifolina, uncarina, ácido ursólico.

Preparação
As doses terapêuticas de unha de gato podem chegar a 20g por dia, sendo uma média de 2-3g por dia. Geralmente, como uma ajuda natural para a artrite e problemas digestivos e de intestino, 3-5g por dia são recomendáveis.
A dosagem de uma decocção para a saúde geral é de 4g da casca fervida em um litro de água, 1 a 2 chávenas uma vez por dia ou 1 chávena três vezes ao dia, em casos de necessidades especiais. Juntar sumo de limão ou vinagre à decocção, quando ela estiver pronta, permitirá extrair vantagens dos alcalóides e diminuição do tanino. Para isso, juntar ½ colher de café de sumo de limão ou vinagre, por cada chávena de água.


Contra-indicações
-     A unha de gato tem demonstrado efeitos imunoestimulantes. Ela é, portanto, contra-indicada antes, ou após, aos transplantes de órgãos ou de medula e enxertos de pele.
-     A unha de gato foi tradicionalmente utilizada pelas propriedades contraceptivas. Ela é contra-indicada para mulheres que procuram engravidar. Entretanto, esse efeito não demonstrou uma eficácia suficiente para que a planta seja considerada contraceptiva, donde ela não deve ser utilizada com essa finalidade.
-     A unha de gato tem compostos que podem reduzir a agregação das plaquetas e fluidificar o sangue. Verificar, antes, com um médico, em caso de utilização de coumarina e outras drogas farmacêuticas que fluidifiquem o sangue e interromper a utilização da unha de gato 10 dias antes de qualquer operação cirúrgica.
-     A unha de gato necessita dos ácidos gástricos para decompor os taninos e os alcalóides durante a digestão para facilitar a sua absorção. Evitar consumir cápsulas de unha de gato ao mesmo tempo que antiácidos.
- Há informações de que fortes doses de unha de gato (3-4g em uma única chávena) causaram dores abdominais ou problemas gastrointestinais e diarreias (por conta do teor de tanino) em algumas pessoas. A diarreia tende a atenuar-se e desaparecer com o uso. Interromper o uso ou reduzir a dosagem se a diarreia persistir por mais de 3 ou 4 dias.

Interacções medicamentosas
-     Por conta dos seus efeitos imunoestimulantes a unha de gato não deve ser utilizada ao mesmo tempo com medicamentos que visem suprimir o sistema imunitário como a ciclosporina e outros prescritos após um transplante de órgãos. (Isto não foi provado cientificamente)
-     Segundo um estudo in vivo, com ratos, a unha de gato poderá proteger contra os danos gastrointestinais causados pelos medicamentos anti-inflamatórios não esteroídico como o ibuprofeno.
-     A unha de gato poderá reforçar a acção dos medicamentos anticoagulantes.